Festa na Campanha
Xote – SOL
Letra: Júlio Cézar Leonardi
Música: Júlio Cézar Leonardi

Lá na campanha, quando tem festa campeira, junta gente de montoeira, até parece formigueiro;
de todo lado, vem compadre e vem comadre, vem o delegado e o padre, vem o peão e o fazendeiro;
levanta poeira pela redondeza inteira, e aquela gente festeira vem pisoteando os carreiros;
a peonada, preparando a churrascada, e as prendas trazem salada, bolo, cuca e pão caseiro.

            Que coisa linda que é uma festa na campanha, com gaita, churrasco e canha, trova, prosa e cantoria;
            prendas bonitas, muita farra e brincadeira, e essa gente hospitaleira cultivando a alegria;
            que coisa linda que é uma festa na campanha, com gaita, churrasco e canha, trova, prosa e cantoria;
            prendas bonitas, muita farra e brincadeira, e essa gente hospitaleira cultivando a alegria.

De manhãzita, tem o culto lá na igreja, e o povo todo festeja o dia santo do lugar;
depois da bóia, tem carpeta, rifa e bingo, e, pra completar o domingo, domingueira pra dançar;
é nessa hora que os mais novos, bem ligeiros, no compasso do gaiteiro, querem mesmo é namorar;
e a velharada, abarrotada de bolacha, chega até perder as faixas, de tanto se chacoalhar.

            Que coisa linda que é uma festa na campanha, com gaita, churrasco e canha, trova, prosa e cantoria;
            prendas bonitas, muita farra e brincadeira, e essa gente hospitaleira cultivando a alegria;
            que coisa linda que é uma festa na campanha, com gaita, churrasco e canha, trova, prosa e cantoria;
            prendas bonitas, muita farra e brincadeira, e essa gente hospitaleira cultivando a alegria.

A tarde inteira, corre frouxa essa festança, e essa gente não se cansa, lembrando tempos de outrora;
e, quando o sol, lá na coxilha, vai baixando, o matiné vai se acabando, que é tempo de ir embora
pra tirar leite e tratar a bicharada, que a lida não tem parada, pra quem vive lá pra fora;
estrada afora, vão contando suas façanhas; nessas festas na campanha, a tristeza não vigora.

            Que coisa linda que é uma festa na campanha, com gaita, churrasco e canha, trova, prosa e cantoria;
            prendas bonitas, muita farra e brincadeira, e essa gente hospitaleira cultivando a alegria;
            que coisa linda que é uma festa na campanha, com gaita, churrasco e canha, trova, prosa e cantoria;
            prendas bonitas, muita farra e brincadeira, e essa gente hospitaleira cultivando a alegria.